BAHIA

Está situada a sul da Região Nordeste e é o maior estado da região, fazendo limites com oito outros estados brasileiros, sendo eles: Minas Gerais a sul, sudoeste e sudeste, Goiás a oeste e sudoeste, Tocantins a oeste e noroeste, Piauí a norte e noroeste, Pernambuco a norte, Alagoas a nordeste, Sergipe a nordeste e Espírito Santo a sudeste. A leste, é banhada pelo Oceano Atlântico e tem, com novecentos km, a mais extensa costa de todos os estados do Brasil com acesso ao Oceano Atlântico. Ocupa uma área de 567 295,669 km², sendo pouco maior que a França. Dentre os estados nordestinos, a Bahia representa a maior extensão territorial, a maior população, o maior produto interno bruto, além de ser o estado que mais recebe turistas na região[11].
A capital estadual é Salvador. Além dela, há outras cidades influentes na rede urbana baiana, como as capitais regionais Feira de Santana, Vitória da Conquista, o bipolo Itabuna-Ilhéus, Barreiras e o bipolo Juazeiro-Petrolina,[12] esta última é um município pernambucano e núcleo, junto com Juazeiro, da RIDE Polo Petrolina e Juazeiro. A essas, somam-se, por sua população e importância econômica, três municípios integrantes da Grande Salvador: Camaçari, Lauro de Freitas e Simões Filho; e os municípios interioranos de Alagoinhas, Eunápolis, Jequié, Teixeira de Freitas, Porto Seguro e Paulo Afonso.

 

Clima

O clima tropical predomina em toda a Bahia, apresentando distinções apenas quanto aos índices de precipitação em cada uma das diferentes regiões. Em regiões como o sertão, há predominância do clima semi-árido. No litoral e na região de Ilhéus a umidade é maior e os índices de chuva podem ultrapassar os 1.500 mm anuais.

 

Passeio

Cerca de 230 quilômetros separam Salvador de Mangue Seco, quase na divisa com o Sergipe. Ao longo da BA-009, batizada de Estrada do Coco até a Praia do Forte e, dali em diante de Linha Verde, há uma série de lugares especiais para um passeio de um dia ou para uma boa esticada. Entre os destaques, Arembepe, Costa do Sauípe e Imbassaí.

 

Gastronomia

Nenhum outro Estado brasileiro tem uma culinária típica tão diversificada quando a Bahia.
A culinária baiana tem forte influência das culturas africana, portuguesa e, em menor escala (comparada a outras regiões do Brasil), indígena.
Os africanos trouxeram o gosto por temperos fortes, especialmente o azeite de dendê e as pimentas.
Além disso, foi muito por força da forte associação entre culinária com a religião (muitas comidas são oferendas aos orixás) que as receitas conseguiram passar através de gerações (escravos não escreviam livros), chegando intactas até nossos dias.
Dos índios veio a utilização principalmente de frutas, plantas e peixes locais.
Os portugueses trouxeram o manuseio de utensílios (fogões e panelas) e a utilização de açúcar.










0796-MG
11.046789.10.0001-5
PASSAGENS AÉREAS MAIS BARATAS